|    home
  Bem-vindo!

Busca artigos por palavra chave




21/01/2011
 

Gastronomia

Saladas: essenciais à vida.

Compostas por vários tipos de ingredientes, as saladas podem ser coloridas e, em geral, são saboreadas frias em casa ou nos mais requintados restaurantes.

Foto: Divulgação

Salada Primavera da chef Alessandra Martins

 

Essenciais a uma refeição equilibrada, requerem variedades de ingredientes e baixa concentração de gorduras e açúcares. No verão, não há outro prato que caia tão bem quanto as saladas. Além de nutritivas, permitem a combinação com uma série de molhos.

Compostas por vários tipos de ingredientes, as saladas podem ser coloridas e, em geral, são saboreadas frias em casa ou nos mais requintados restaurantes. Seu nome vem (segundo alguns estudiosos) do latim e designa salgado, por fazer referência ao tempero, o velho e bom conhecido sal de cozinha.

Segundo Elizabeth Vargas, nutricionista da Unilever Alimentos, quanto mais colorida for a salada, mais nutritiva e apetitosa ela ficará. “Uma forma de melhorar o paladar deste prato é acrescentar frutas: manga com rúcula fica ótimo, maçã dá um tom crocante a qualquer alimento; e alguns pedacinhos de laranja deixam as folhas mais apetitosas. Vale experimentar alface, agrião, tomate, laranja, sal, orégano, e algumas passas ou damascos picados, que podem tar um toque todo especial”, sugere.


Mas apesar de muito saudável, o consumo exclusivo de saladas não é recomendado, porque pode não atingr as necessidades calórias e os percentuais de nutrientes que cada indivíduo necessita. “Só nos casos em que a elas conseguem associar vários nutrientes. Aí, sim, pode ser uma refeição completa”, diz Patrícia Oliveira, geriatra, nutróloga e médica responsável pela Terapia Nutricional do Hospital Bandeirantes, além de coordenadora clínica e assistencial do Instituto de Metabolismo e Nutrição (ImeN).

De acordo com a nutróloga, uma refeição deve conter 30% do valor calórico total de ingestão diária. Portanto, numa dieta de 2.000 calorias, uma refeição deverá ter cerca de 600 calorias.
Porém, os números citados devem ser considerados apenas como uma média de referência, já que os valores calóricos diários e por refeição precisam ter cálculos realizados pelo profissional de nutrição porque dependem de dados corporais e hábitos de vida de cada pessoa.

Uma mulher e um homem que tenham a mesma altura e peso terão necessidades calóricas diferentes por conta da composição corporal de cada sexo. O mesmo vale para dois homens com a mesma estatura e peso, mas que um seja praticante de atividade física e o outro não.

Alimentação adequada

De maneira geral, uma alimentação adequada deve incluir todos os dias de duas a três porções de legumes e verduras. De quatro a cinco frutas e preferencialmente alimentos integrais: pães e cereais.


Os alimentos mais indicados para pacientes hipercolesterolêmicos são leite e iogurte desnatados, queijos com baixos teores de gordura como ricota, cottage e minas fresco. E, ainda, cortes de carne bovina magra como filé mignon, patinho e coxão mole; carnes brancas (aves) e sem peles; as gorduras boas, que são os ácidos graxos monoinsaturados, como azeites, castanhas, nozes, amêndoas.

Os poliinsaturados como o óleo de girassol, soja e milho, linhaça e peixes de águas frias (salmão, arenque, sardinha e cavala) são ótimos para a saúde.


Infelizmente, é preciso levar em conta que o hábito de consumir saladas, verduras, legumes, frutas e alimentos mais saudáveis vem sendo deixado de lado, enquanto gorduras, açúcares e farináceos imperam na alimentação diária dos brasileiros.

Estudos recentes da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelam que 40% da população adulta apresenta altos índices de colesterol, por isso é fundamental observar  e controlar a quantidade de gordura na alimentação. Quanto mais gordura se come, maior tendência para o acúmulo de LDL, o mal colesterol, no organismo.

Os alimentos que fazem subir o LDL são os de origem animal, como carnes vermelhas gordurosas, queijos, miúdos, frutos do mar, ovos e embutidos, além de banhas, torresmos, toucinhos defumados, massas folhadas e doces recheados. É necessário tomar cuidado ao consumí-los. No mais, prepare sua salada de forma prazerosa e bom apetite!

Salada Primavera da chef Alessandra Martins


Ingredientes

• 1 abobrinha verde
• 1 berinjela média
• 200 gramas de tomate seco
• 500 gramas de mussarela de búfala
• Azeite extra virgem a gosto
• folhas de manjericão fresco
• folhas de salsinha
• aceto balsâmico
• sal a gosto
• pimenta do reino

Preparo

Grelhe a abobrinha e a berinjela e reserve. Tempere a mussarela de búfala com sal, pimenta, azeite e tomate seco. Monte o prato e se delicie!

 


Publicado por: Divina Proporção
versão para impressão    Envie esta matéria para amigos!

Publicidade
 
© 2015 Divina Proporção, Todos os Direitos Reservados | webmaster
desenvolvido por: Siglobal