|    home
  Bem-vindo!

Busca artigos por palavra chave




20/05/2011
 

Comportamento

 

 

 

 

E por falar em relacionamento

 

Todo o mundo quer ter um grande amor. Mas muitas vezes, a relação é infinita, mas não duradoura. Para desvendar um pouco mais sobre o mundo dos relacionamentos amorosos entre homens e mulheres, convidamos Beatriz Helena Paranhos Cardella que atua como psicóloga e psicoterapeuta há 25 anos. Ela é mestre em Educação, e especialista em Gestalt Terapia, além de ser professora do curso de especialização em Gestalt Terapia do Instituto Sedes Sapientiae. Também é autora dos livros: O Amor na Relação Terapêutica, e A Construção do Psicoterapeuta, ambos pela Editora Summus. Além de Laços e Nós: Amor e Intimidade nas Relações Humanas, lançado recentemente pela Editora Ágora. Beatriz concedeu esta entrevista para a revista eletrônica Divina Proporção.Com e fala sobre os ganhos e prejuízos de uma separação.Acompanhe!

Foto: Divulgação

Beatriz Helena Paranhos Cardella é psicóloga e psicoterapeuta.

 

Divina Proporção.Com – Muitas vezes, o casamento não anda lá essas coisas e a separação é inevitável. Como psicóloga e escritora sobre relacionamento humano, a senhora acha que é preciso dar um tempo para que o cérebro processe o fim de um casamento? Quanto é este tempo?

 

Beatriz Helena Paranhos CardellaNa experiência humana, quando algo importante chega ao fim, vivenciamos um processo de luto. Este é um período onde sentimos tristeza profunda, e que será fundamental para elaborarmos a perda e para que possamos reiniciar o caminho renovados, transformados e disponíveis para viver novas experiências. Viver o luto é importante, pois toda separação ou perda requer um tempo de elaboração, mesmo quando a pessoa tomou a iniciativa da separação e quando desejava terminar a relação. O tempo é variável, depende de cada pessoa. Mas, em geral, levamos cerca de um ano (ou mais) para que a transformação e a renovação possam acontecer.

Divina Proporção.Com – Quem casa rapidamente depois do divórcio, não começou outro relacionamento antes mesmo do divórcio, ou seja, durante o casamento? Quais os prejuízos para quem não consegue esperar o tempo necessário para iniciar um novo relacionamento?

 

Beatriz Helena Paranhos CardellaNovas uniões podem começar durante ou logo após a relação que está terminando. Mesmo assim, o luto acontecerá. Quando a pessoa tenta apagar o passado sem elaborá-lo, pode levar para o novo casamento conflitos não-resolvidos em sua relação anterior. 

 

Divina Proporção.Com – Do ponto  de vista, químico, explique por favor, o que são: amor, paixão, estresse, ódio.

 

Beatriz Helena Paranhos CardellaPrecisamos tomar cuidado com a ‘biologização’ do ser humano. O homem é uma totalidade e nossas experiências afetivas e emocionais acontecem concomitantemente nas dimensões fisiológicas, afetivas, emocionais, etc. Não podemos compreender experiências como amor, paixão, ódio, apenas do ponto de vista biológico. Isto  seria um equívoco. O homem não é apenas um ser biológico e não pode ser totalmente explicado. Amor, paixão, estresse, ódio, embora aconteçam também na dimensão biológica, são fenômenos bem mais complexos, pois acontecem nas dimensões: ética, psíquica, social e espiritual.

 

Divina Proporção.Com – Os homens processam bem e não sofrem (ou sofrem menos) com o rompimento de um relacionamento, quando comparados às mulheres?

 

Beatriz Helena Paranhos CardellaIsto é um preconceito. Homens sofrem tanto quanto mulheres. O que em geral acontece é que os homens costumam ter sua expressão emocional mais contida, por inúmeros fatores educacionais e culturais. Alguns têm dificuldade de acessar e elaborar os seus sentimentos e tendem a seguir em frente sem muita reflexão ou recolhimento para compreenderem-se melhor. Mas isso é diferente de dizer que sofrem menos. Apenas são diferentes em suas manifestações. O contato com o que sentem e a expressão do que sentem é mais contida e diferente.
 
Divina Proporção.Com – Com base na resposta acima, o que é o centro do prazer? E o que é o objeto do prazer para homens e mulheres?

 

Beatriz Helena Paranhos CardellaIsto é singular. O que é prazeroso para um, pode não ser para outro, independentemente do sexo. O que acontece às vezes é que os homens apresentam uma maior facilidade para separar amor e sexo. As mulheres, em geral, se envolvem sexualmente quando estão envolvidas afetivamente. Alguns homens são capazes de envolvimento sexual sem que o afeto esteja presente. Mas, hoje em dia, já notamos mudanças nesse comportamento em ambos os sexos. 

Divina Proporção.Com –Quais são essas mudanças percebidas nos homens e nas mulheres?


Beatriz Helena Paranhos CardellaO comportamento de homens e de mulheres vem se transformando bastante quando comparados há quatro décadas. A saída da mulher para o mercado de trabalho (além da revolução sexual) é um dos fatores de grande impacto no comportamento de ambos os sexos. A mulher alcança a autonomia e independência econômica e o homem passa a compartilhar com ela o sustento do lar e as responsabilidades com os filhos e com a vida doméstica. Com isto, há uma maior flexibilidade nas relações e a alternância e mudança de papéis. As mulheres, hoje, passam a ter novos projetos de vida além do casamento e dos filhos, e os homens são mais presentes na educação e na vida familiar. O aspecto positivo destas mudanças é a maior liberdade e igualdade entre homem e mulher nas relações de poder e autoridade. Mas ainda há muitas dificuldades e confusões presentes. O aspecto feminino da vida ainda encontra-se em segundo plano, como a afetividade, a vida interior, a delicadeza, o cuidado, a intuição, e nem sempre são valorizados numa cultura patriarcal, prejudicando assim a vida integrada tanto para homens como para mulheres. Dessa forma, ainda temos muito a crescer e evoluir, pois destituídos do aspecto feminino nos tornamos embrutecidos, competitivos, excessivamente racionais e lógicos, e o amor, o companheirismo e as relações afetivas em geral sofrem prejuízos.

 

Divina Proporção.Com – Voltando ao assunto divórcio ou separação. Finalizar um casamento não seria apenas a formalização de um ato? Como a mente processa isto?

 

Beatriz Helena Paranhos Cardella A separação é um processo complexo que vai muito além da simples formalização do ato. Embora as pessoas assinem um documento formalizando a separação, este processo pode demorar bem mais tempo, pois muitas coisas estão em jogo numa separação. Como mencionei acima, o luto precisa ser vivido para que os parceiros possam prosseguir, reconstruir suas vidas e estarem novamente disponíveis para o real envolvimento amoroso, pois toda separação é sempre muito dolorosa mesmo que  desejada.

Divina Proporção.Com – As pessoas, às vezes, se divorciam apesar de ainda se amarem? Por quê?

 

Beatriz Helena Paranhos Cardella Sim, pois não basta o amor para que uma relação tenha durabilidade. É preciso paciência, companheirismo, tolerância, respeito, senso de limites, capacidade para lidar com frustração e conflitos, entre tantas outras coisas. Relação amorosa é fruto de muito trabalho. 


Divina Proporção.Com – De que maneira, isto afeta o cérebro?

 

Beatriz Helena Paranhos Cardella Viver é afetar-se. Tudo o que vivemos nos afeta positivamente e negativamente. Viver é arriscar-se, é abrir-se, é lançar-se no desconhecido. Quem teme ser afetado, viverá uma vida empobrecida. Para viver é preciso coragem.
 

Dicas de leitura

 

A gravidez é um momento sublime, no qual a mulher vive intensas emoções e faz grandes descobertas. Bom seria se estes momentos pudessem ser eternizados... E podem! Com o Diário da Gestante, a futura mamãe vai anotar, de maneira bastante personalizada, cada detalhe que estará vivenciando ao longo dos nove meses, compondo um registro precioso não só para ela, mas também para seu filho poder ler quando crescer. E mais: dia após dia, semana após semana, ela irá encontrar dicas importantes e informações valiosas para vivenciar a gestação da melhor maneira possível, contornando os desconfortos físicos e emocionais. Todo o conteúdo do Diário da Gestante se baseia em recomendações da Organização Mundial da Saúde e é fruto, também, da experiência de mais de 30 anos da autora trabalhando com gestantes. A Autora Maria de Lourdes da Silva Teixeira é conhecida como Fadynha – é criadora de um método próprio de yoga para gestantes, o qual ensina desde 1978, no Instituto de Yoga e Terapias Aurora, no Rio de Janeiro.  Em suas aulas ela não ensina apenas técnicas de yoga, mas também orienta suas alunas a respeito de assuntos ligados à maternidade. Diário da Gestante é um kit contendo: 1 livro, 1 marcador de página perfumado e 1 adesivo, pela Editora Novo Século.

E as estrelas quantas são? A autora Giulia Carcasi nasceu em Roma, cidade onde vive e estuda Medicina. Este é seu primeiro romance e já chegou à lista dos mais vendidos na Itália. Duas vozes contam a mesma história, dois prismas, dois corações. Tudo brota de um modo arrebatador durante a fase de mutação entre o final da adolescência e o começo da vida adulta. E a jovem escritora italiana Giulia Carcasi optou por narrar esse período da maneira mais intensa possível: são os dois protagonistas que contam, em primeira pessoa, o seu cotidiano, o que traz contornos realistas ao romance. São questionamentos, dilemas de amor e muitas descobertas que recheiam o livro lançado pela Editora Planeta.

Outra opção de leitura intitula-se A Ciência de Ser Feliz. Os estudos sobre o que gera felicidade no ser humano cresceram vertiginosamente nas últimas décadas, e mostra que a ciência pode ser uma grande aliada na discussão do assunto. Baseada em amplas pesquisas, a dra. Susan Andrews lista princípios eficazes que tornam nosso cotidiano mais pleno  e lança o livro pela Editora Ágora.

 


Publicado por: Divina Proporção
versão para impressão    Envie esta matéria para amigos!

Publicidade
 
© 2015 Divina Proporção, Todos os Direitos Reservados | webmaster
desenvolvido por: Siglobal