|    home
  Bem-vindo!

Busca artigos por palavra chave




15/06/2011
 

Gastronomia

 

Caldos e sopas: saúde em versões ímpares

 

Os caldos e as sopas trazem ricas histórias e sabores, além de serem pratos dos mais pedidos nos restaurantes durante o inverno. Saiba o que dizem as nutricionistas a respeito e aproveite para provar a receita de Caio Henri, chef do Las Favas Contadas.

 

Foto: Divulgação

Sopa de Cenoura com Gengibre de Caio Henri

 

Quando a temperatura cai, nada melhor do que belos pratos de sopas ou caldos quentes, repletos de verduras e legumes para serem sorvidos calmamente, sozinhos ou com acompanhamentos como pães e queijos. O que pouca gente sabe é que estas delícias econômicas, fáceis de preparar, nutritivas e saborosas têm origem lá atrás. E isto significa que elas são tão antigas quanto o fogo, descoberto no período pré-histórico, que possibilitou ao homem uma alimentação mais leve.

 

Entretanto, ninguém arrisca dizer o nome da “cozinheira” que teve a ideia de colocar um pedaço da caça em água fervente. Alguns estudiosos acreditam que o caldo precedeu à sopa. E registram a seguinte divisão: caldos doces feitos apenas com vegetais e os chamados ácidos, elaborados com plantas como a urtiga e por fermentação alcoólica ou láctea.

 

História e curiosidades

 

Pouco se sabe acerca do consumo das sopas e dos caldos pelos povos da Mesopotâmia, Egito, Fenícia, Pérsia ou Síria. Acredita-se que eram pouco apreciadores desses pratos. Mas sabe-se que os hebreus elaboravam exemplares com carnes e cereais.

 

Os gregos eram afeiçoados a esses alimentos. O mais famoso era o Caldo Negro de Esparta. A receita não foi conservada, mas estudiosos dizem que era feito com sangue de animais misturado com vinagre e ervas aromáticas, o que, hoje, foge aos padrões de delícia à mesa.

 

Roma teve uma grande tradição na área. Os pastores tinham como prato principal e diário as sopas de cereais que acompanhavam outros produtos da temporada: verduras, legumes, frutas e queijos. Na França, reza a lenda que um rei, no ápice de sua excentricidade ou gulodice, fez com que seus cozinheiros elaborassem mais de 200 tipos diferentes de sopas.

 

Histórias à parte, no Brasil, por conta da rica diversidade de ingredientes é possível variar as receitas em casa mesmo. Quem preferir pode ir a restaurantes. Para esta matéria, Caio Henri, chef do Las Favas Contadas dá a receita da Sopa de Cenoura com Gengibre.

 

Dizem as especialistas

 

As sopas trazem, entre outras combinações, a mais perfeita: saúde e paladar. Por ser de fácil digestão e acelerar o metabolismo, elas são um método rápido de emagrecimento e, ao mesmo tempo, são ótimas para quem quer apenas manter a boa forma e ter a saúde em dia.

 

Em geral, as receitas mais calóricas e ricas em gorduras são aquelas preparadas com creme de leite, carne, ou ricas em carboidratos (batata, mandioca, madioquinha, e acrescidas de massas). Neste caso, em especial, a quantidade a ser consumida deve ser menor para quem quer controlar calorias.

 

“A regra é o bom senso. Mesmo que determinadas sopas sejam pouco calóricas, se vários pratos forem ingeridos, o consumo final terá um alto valor de calorias por conta da quantidade”, alerta Solange de Oliveira Savedra, gerente técnica do Conselho Regional de Nutricionistas.

 

Sopas ou caldos de verduras e legumes podem ser ingeridos como entrada para substituir a salada. Se forem, o prato principal é necessário que haja o acréscimo de uma fonte protéica (carne, frango, peixe ou ovo e também feijão, ervilha, lentilha, soja) e um alimento rico em carboidrato (cará, inhame, batata, arroz, macarrão).

 

“Uma deliciosa sopa precisa de poucos ingredientes. Se feita com itens frescos, apesar de algumas vitaminas se perderem durante o cozimento, fornecerá vários nutrientes para o corpo. A perda poderá ser minimizada pela adição dos legumes ou verduras ao final do cozimento”, diz Flávia Bulgarelli Vicentini, nutricionista da Casa Movimento.

 

Sopa de Cenoura com Gengibre

 

Ingredientes

400 gramas de cenoura cortada em cubos

½ cebola picada

3 talos de salsão picados finamente

2 colheres de sopa de gengibre ralado

2 colheres de sopa de manteiga

1 quilo de batata cozida

Sal a gosto

Pimenta do reino a gosto

2 colheres de sopa de mel

½ xícara de creme de leite fresco

½ litro de caldo de frango ou legumes

Preparo

Em uma panela, derreta uma colher de manteiga e refogue a cebola, a cenoura, uma colher de gengibre e o salsão. Tempere com sal e pimenta do reino, adicione o caldo de sua preferência (frango ou legumes) e deixe cozinhar por 20 minutos. Transfira o conteúdo da panela para um liquidificador, adicione o mel e bata até virar um leve caldo. Na mesma panela utilizada para refogar, derreta a outra colher de manteiga e refogue o restante do gengibre por um minuto. Acrescente o caldo à panela o creme de leite e finalize com um pouco de salsão laminado. 


Publicado por: Divina Proporção
versão para impressão    Envie esta matéria para amigos!

Publicidade
 
© 2015 Divina Proporção, Todos os Direitos Reservados | webmaster
desenvolvido por: Siglobal