|    home
  Bem-vindo!

Busca artigos por palavra chave




05/08/2011
 

Comportamento

 

Geração Y: especial para o dia dos pais

 

Leonardo Calixtoé formado em Artes Cênicas e tem certificação internacional em executive coaching. Além, dos trabalhos como ator, ele também atuou como diretor e produtor de espetáculos. Em uma destas produções, Calixto acumulou também a função de preparador de elenco e começou a notar que as dificuldades que os atores tinham para performar vinham da vida pessoal, e que não bastava resolver o problema de forma pontual, porque de certa forma, essa dificuldade persistiria e apareceria de outra maneira. Por conta de sua observação, Leonardo foi convidado a dar uma entrevista à Divina Proporção.Com sobre a tão falada geração Y.

 

Imagem: Divulgação

Leonardo Calixto

 

Divina Proporção.Com – O que é a geração Y?

Leonardo Calixto – É a geração de jovens nascidos no final da década de 1980 e início de 1990 que está começando a interferir no mercado de trabalho atual. É uma geração que chegou com a tecnologia em alta e fez nela muitos avanços. Vivem com ela! Eles receberam de seus pais todo o amparo material e educacional que as gerações anteriores não receberam, até como forma de compensação. Tiveram mais atenção, realizam mais atividades, mais cursos, e já muito cedo, acabam se vendo mais competentes do que outros de idades mais avançadas. Por conta disso, por vezes, não aceitam começar pequeno, querem logo partir para algo mais desafiador.


Divina Proporção.Com –  Esta geração é um problema?

Leonardo Calixto – Ela é um problema para quem a enxerga como um problema, ou seja, não consegue estimular suas potencialidades e nem estancar o comportamento prejudicial. É preciso direcioná-la a concretização de projetos que torne esses profissionais de fato realizados. Eles devem se sentir  plenamente satisfeitos no aqui e agora (e isso inclui a conscientização de quem nem tudo é para aqui e agora).

Divina Proporção.Com –  É possível corrigir o comportamento dessa geração?

 

Leonardo Calixto – Sim, todo comportamento pode ser melhorado, mudado.  A partir de novas formas de pensar e agir e principalmente por meio da humanização desse processo, onde este profissional poderá compreender de fato seu papel na sociedade e no mercado de trabalho. Mas os dados precisam aparecer para eles. Por exemplo: a geração y tende a ser mais individualista, mas é a geração que mais se preocupa com o meio ambiente. Eles recebem todos os dias um bombardeio de informações acerca da degradação do meio ambiente, as conseqüências que já estamos sofrendo e as que ainda virão e isso quebrou esta atitude individualista e fez direcionar sua preocupação de forma mais global.


Divina Proporção.Com –  Como os pais devem lidar com eles?

Leonardo Calixto – Devem mostrar as conseqüências, os resultados, para que possam sempre estar em desenvolvimento e desejando ampliar sua visão. Como já são adultos, querem ser tratados com igualdade, porque é assim que enxergam o mundo. Portanto, não adianta a conversa ser em tom hierárquico, pois não chegarão a lugar nenhum. Pais de geração Y devem ter a consciência que eles são fruto da oposição que se fez a forma antiga de educar. Então, devem manter sempre o canal de comunicação aberto a um diálogo franco e objetivo, sem julgamentos.


Divina Proporção.Com –  É possível visualizar os \"estragos e as benfeitorias\" que eles criarão futuramente?


Leonardo Calixto – É uma geração muito criativa, inovadora e ousada. Creio que serão responsáveis por descobertas importantes, por mudança nos padrões de comportamento. Se esta geração estiver consciente de seus objetivos, direcionarão estas mudanças de maneira muito positiva, como já tem ocorrido no padrão hierárquico. Hoje, ele é horizontal, por exemplo, mas se apenas estiverem focados em suprir suas vontades particulares, o processo poderá ser o oposto, e tende a “desumanização”. Uma coisa não pode ser deixada de lado: é uma geração que vai ensinar todas as outras o verdadeiro significado a auto-realização, e atingirá um equilibro interessante entre vida pessoal e profissional, tão discutido e desejado há tanto tempo.


Divina Proporção.Com –  Existem características distintas quando o assunto é homem e mulher pertencente à geração Y?

Leonardo Calixto –  A geração Y reduz a diferença entre homens e mulheres. Na verdade, atuam de forma muito parecida. As diferenças tradicionais (mulheres são mais emocionais e homens mais objetivos e diretos) ainda existem hoje, porém em menor grau, tornando a competitividade mais direcionada às competências em si.

Divina Proporção.Com –  Por que esta geração é tão discutida?

Leonardo Calixto –  Porque ela trouxe mudanças efetivas ao cenário global, principalmente no corporativo. São práticos, criativos, fazem multitarefas, quebraram paradigmas e como tiveram de tudo em sua educação acham que tudo poderia ser mais fácil do que é. Por um lado, isso é bom, pois tendem a encararem os desafios com menos medo que gerações anteriores. Por outro,  não têm paciência com gerações anteriores. Chegam a transmitir certo individualismo e superficialidade. Eles fazem aquilo que a geração x aprendeu que não era possível, e de fato não conseguiu, mas a geração y encara essa nova possibilidade com muita naturalidade. E é por isso que o conflito acontece: o que é tido como impossível por uma geração, é plenamente realizável na y.

Divina Proporção.Com –  É possível prever como serão os filhos dessa geração?

Leonardo Calixto – Arrisco dizer que a tendência é a do retorno a alguns padrões antigos em contraponto as conseqüências que virão. Como se já não tivesse muito para onde seguir e a necessidade os obrigará a rever conceitos que foram deixados de lado.

 

Divina Proporção.Com –  Em termos profissionais como lidar com essa geração?

Leonardo Calixto – Simples,incentive seus pontos fortes.

 

Dicas de leitura

 

 

Como nascem os pais. A Mescla Editorial lança Como nascem os país do jornalista Renato Kaufmann. No livro, ele desvenda os caminhos tortuosos por onde passa a mente de um homem que se vê, de um dia para o outro, com uma filha nos braços, sem saber direito o que fazer. Em 208 páginas costuradas pelo humor ao mesmo tempo cáustico e comovente que marca a sua escrita, o autor faz um panorama surpreendente de um pai nessa sempre primeira viagem. O criador do blog Diário Grávido, que tem milhares de seguidores.

 

De um lado Abner, um velho professor que resolveu refugiar-se numa vida simples, abandonando todas as glórias da vida acadêmica. De outro está Alfredo, um jovem estudante de Filosofia, terceiro filho de uma família de agricultores, cujo sonho é alcançar o que o professor resolveu abandonar. Ambos vivem isolados, em locais ermos, cada um ao seu estilo. Em Tempo de esperas, o Padre Fábio de Melo mostra como uma nova e rica relação de cumplicidade se estabelece entre estes dois homens, a partir de uma instigante troca de correspondências. Após uma desilusão amorosa imposta por Clara, a mulher da vida de Alfredo, ele é estimulado por outro professor de filosofia a escrever para o mestre Abner e buscar ajuda para a dor de sua perda. Editora Planeta.

 


Publicado por: Divina Proporção
versão para impressão    Envie esta matéria para amigos!

Publicidade
 
© 2015 Divina Proporção, Todos os Direitos Reservados | webmaster
desenvolvido por: Siglobal