|    home
  Bem-vindo!

Busca artigos por palavra chave




04/04/2013
 

Comportamento

Nova crise a ser superada

O mercado competitivo faz com que as empresas mirem cada vez mais novos projetos e produtos. A necessidade de criar diferenciais para sobreviver, entretanto, faz que muitas organizações se baseiem em planos ou expectativas pouco consistentes. O resultado disso será um endividamento que extrapolará o limite do útil e saudável. Para falar deste assunto, o Divina Proporção.Com convidou o  consultor Walter Tamaki, diretor da Ventana Capital, especializada em gestão, renegociação e reestruturação de empresas.

Imagem: Divulgação

Divina Proporção.Com – Estamos em alguma crise novamente?

Walter Tamaki –  Antes da resposta, um breve “causo”... Um filho visita a lanchonete do pai que ficava na estrada, perto de uma universidade. O local estava cheio, lotado de jovens. O pai fazia os melhores cachorros quentes da região, com os melhores ingredientes e contratava jovens que serviam os lanches aos clientes. O filho, que havia se formado numa excelente escola de administração, falou: “Pai, você não sabe que estamos passando por uma crise? Você não pode continuar trabalhando assim. Substitua o seu pão por um mais barato, dispense esses jovens, e entregue você mesmo os lanches”.
O pai, que gostava muito do filho, não quis contrariá-lo e adotou as sugestões. Três meses depois, o filho volta para visitar o pai e vê o pátio vazio, com exceção de uma ou outra mesinha. Ao ver o filho, o pai fala: “Filho, você tinha razão, estamos realmente vivendo uma profunda crise”.
Sim, como todos sabemos, existe uma crise. Mas também estamos cientes que, apesar disso, muitas empresas estão crescendo ou ganhando terreno frente a seus concorrentes.

Divina Proporção.Com – As empresas chegaram ao limite e por isso estão criando diferenciais para sobreviver e não mais para sobressair?


Walter Tamaki –  Independentemente da situação conjuntural, as empresas devem sempre buscar quais as são as suas melhores opções estratégicas. A percepção, aliada a uma análise racional da situação e perspectivas do mercado, é fundamental sempre. Por exemplo, a tão antiga (mas ainda útil) análise SWOT poderia nos ajudar a analisar o ambiente externo (oportunidades e ameaças) e, olhando para nossos recursos e deficiências, proporcionar-nos algumas alternativas.

Divina Proporção.Com – Parece que todas as empresas estão endividadas existe uma luz no fim do túnel?

Walter Tamaki –  Sim, muitas empresas encontram-se excessivamente endividadas. Antes, quando a inflação era alta e os juros reais proibitivos, éramos muito mais rigorosos e seletivos acerca dos projetos com os quais iríamos nos aventurar e financiar. O controle inflacionário, a diminuição dos juros reais e o investiment grade permitiram um aumento enorme nos recursos disponíveis para empréstimos e financiamento, a custo/juros muito mais compatíveis com economias desenvolvidas. Diante da abundância e facilidade, aliada ao baixo custo, muitos empresários desengavetaram projetos e sonhos e aumentaram exageradamente seu endividamento. Vale ressalvar, porém, que dívida em si não é ruim. O endividamento excessivo, sim!

 
Divina Proporção.Com – Quais os caminhos que as empresas precisam buscar para se fortalecer financeiramente?


Walter Tamaki –  Em algumas ocasiões, tenho pregado a questão de se abordar o endividamento de forma similar à obesidade. Então, sabemos que deveremos mudar nossa mentalidade, como encaramos esta questão. Não se trata, meramente, de força de vontade. Trata-se de disciplina. Vontade é um critério muito pobre para decidirmos fazer ou não alguma coisa. Precisamos de disciplina, que não é obediência (pois envolve convencimento e conhecimento). Disciplina é saber o que se tem que fazer e fazer. Com base nisso, as organizações devem conhecer quais ativos imprescindíveis para sua operação, quais financiamentos tem um custo alto (cheque especial, por exemplo), onde não estou sendo tão eficiente, em quais produtos ou serviços nossa margem de contribuição não é favorável, entre outras, e tomar providências.

Divina Proporção.Com – Existem diferentes caminhos para pequenos, médios e grande empresários?

Walter Tamaki –  Grandes empresas, geralmente, conseguem endividar-se mais proporcionalmente. Assim, os problemas são maiores e as soluções podem ser mais sofisticadas e complexas. Porém, sob uma perspectiva micro, as soluções implementadas por um gestor, consultor ou interventor seriam similares.


Divina Proporção.Com – Gostaria de acrescente mais alguma  informação?

 
Walter Tamaki –  Sempre nos deparamos com oportunidades para refletirmos. Seja na hora de efetuarmos nossa declaração pessoal de Imposto de Renda ou quando estamos autorizando o pagamento de juros. Até mesmo quando estivermos numa crise. Nessas oportunidades, procure saber:  qual o valor de sua empresa? Será que o desempenho de sua empresa está compatível com o mercado? Será que a situação não está a cada ano se agravando? Faça uma reflexão honesta! E lembre-se: “Podemos enganar a qualquer um, porém, não devemos nos iludir ou ficarmos nos enganando!”  Se tivermos essa coragem, muito provavelmente consigamos tomar melhores decisões no futuro.

 


Publicado por: Divina Proporção
versão para impressão    Envie esta matéria para amigos!

Publicidade
 
© 2015 Divina Proporção, Todos os Direitos Reservados | webmaster
desenvolvido por: Siglobal