|    home
  Bem-vindo!

Busca artigos por palavra chave




16/07/2013
 

Comportamento

Seja mais feliz e fique bem

A psicologia positiva, a neurociência e a inteligência emocional publicam diversos estudos que demonstram que as pessoas felizes são mais bem sucedidas social e profissionalmente, possuem percepção de saúde e vivem mais. Além dos achados científicos, as pesquisas oferecem dicas valiosas sobre como aumentar o grau de felicidade. Carlos Aldan, CEO do Grupo Kronberg e membro do Conselho Consultivo da Harvard Business Review pelo Institute of Coaching Professional Association fala mais sobre o assunto.

Imagem: Divulgação

Divina Proporção.Com –  O que é felicidade?

Carlos Aldan –  Felicidade é difícil de definir, experimentamos. Depende de cada pessoa, mas de forma geral, é a experiência de alegria, contentamento, bem-estar aliado ao sentimento que a vida é boa, que vale a pena ser vivida. Precisamos considerar também, para melhor entendimento, alguns mitos sobre a felicidade. O primeiro deles é que ela é encontrada, ou precisa ser encontrada. Na realidade a felicidade precisa ser construídapor meio do entendimento que ela está dentro de nós, principalmente na forma como escolhemos nossas atividades intencionais do dia-a-dia, como nosso comportamento relacionado às circunstâncias de nossa vida determinará nosso maior ou menor índice de felicidade. Mudar nossa aparência, nosso status social, financeiro, civil, estado de saúde, impacta muito pouco em nossa felicidade. Somente 10%! Esta constatação científica não implica que não devamos buscar melhorar nossas circunstâncias de vida, mas sim, que temos primordialmente procurado nossa felicidade no lugar errado! Cinquenta por cento de nossa felicidade é biológica, ou seja, nascemos com set point determinado de felicidade. Eventos positivos e negativos na vida afetam nosso índice de felicidade, mas eventualmente, este retorna ao set point original. Fica claro que devemos concentrar nossos esforços nos 40% restantes que se referem às nossas atividades intencionais como forma de criarmos, de produzirmos intencionalmente, um grau maior e mais duradouro de felicidade. Alguns exemplos destas atividades intencionais:

  • criar uma vida socialmente ativa com amigos e relacionamentos múltiplos e, principalmente, dedicar tempo para a família;
  • ser intencionalmente otimista com relação ao seu futuro;
  • estar atento aos mínimos prazeres do cotidiano, da vida presente;
  • conectar-se com um propósito maior de vida (sua escolha: Deus, família, sua vocação, valores que quer deixar como legado para seus filhos e comunidade, etc.);
  • praticar exercício físico;
  • demonstrar gratidão ao que possui e às pessoas que te ajudam.

 Divina Proporção.Com –  Há algum estudo científico que fala sobre os benefícios da felicidade?

Carlos Aldan –  Felicidade Autêntica e Florescer de Martin Seligman; Positividade de Barbara Frederickson; A Ciência da Felicidade e Uma Proposta para um Índice Nacional de Diener.

­Divina Proporção.Com –  Por que a gratidão é a forma mais potente de gerar emoções positivas?

Carlos Aldan –  Expressar gratidão não significa simplesmente agradecer alguém por algo. É muito mais do que isto. Significa sermos gratos por nossas circunstâncias, por sermos quem somos, termos apreciação pelas pequenas coisas da vida. A demonstração de gratidão é a forma mais potente de gerar emoções positivas por inúmeras razões:

  • Geramos emoções positivas no momento presente – \"que bom que estou vivo, aproveitando a presença, a convivência de pessoas queridas em minha vida!\"
  • Geramos emoções positivas no passado – quando agradecemos as nossas dádivas, algo que fizeram por nós, criamos uma percepção positiva sobre o passado, muitas vezes mais positiva do que realmente foi!
  • Geramos emoções positivas no futuro – se pessoas e circunstâncias nos beneficiam e beneficiaram, passamos a acreditar em um melhor futuro automaticamente pois fica claro que a bondade nas pessoas é possível, o comportamento moral é real em grande parte da humanidade.

Ademais, gratidão é incompatível com emoções negativas. Raiva, ódio, ciúme, amargura, por exemplo, não têm lugar neste momento de demonstração de gratidão.

Divina Proporção.Com –  Existem técnicas para promoção de emoções positivas?

Carlos Aldan –  Além das técnicas mencionadas para promover emoções positivas conscientemente, adicionaria o cultivo consciente do otimismo entendendo que as questões negativas na vida, os problemas, não são:

  • Permanentes.
  • Nem abrangentes – não devem afetar outros domínios de nossa existência que não aquele que nos aflige no momento. Exemplo: se vou mal em uma apresentação de vendas, isto não quer dizer que irei mal nas próximas (permanência) e nem que este fato deva afetar minha relação em casa com a família, ou que deva cancelar meu jantar com os amigos (abrangência) porque fui mal em uma atividade em minha vida.
  • E nem somos impotentes para mudar nossa percepção sobre o que nos aflige!
  • Estudos recentes demonstram que pessoas felizes, além de procurar atividades prazerosas e utilizar as técnicas que promovem maior grau de felicidade mencionadas, procuram por atividades que apresentam um certo risco, que aguçam a curiosidade! (exs.: experimentar uma comida exótica, diferente do habitual; participar de um karaoke) Parece um contra senso pois a curiosidade gera ansiedade. Mas é justamente esta sensação de vulnerabilidade que a exploração do desconhecido, do novo, gera, que nos proporciona o prazer aumentado. Sabemos que o sentimento de desconforto e vulnerabilidade, embora represente um caminho mais árduo, é a forma mais rápida de aprendermos algo, de nos tornarmos mais fortes e mais sábios.

 Em suma, pessoas felizes fazem uso de ambas as técnicas para promover índices maiores e mais duradouros de felicidade.

 

 

 


Publicado por: Divina Proporção
versão para impressão    Envie esta matéria para amigos!

Publicidade
 
© 2015 Divina Proporção, Todos os Direitos Reservados | webmaster
desenvolvido por: Siglobal